Estudo das conceções de género presentes num jardim-de-infância da cidade da Ponte de Sor: as conceções das crianças, das educadoras e dos/as encarregados/as de educação

Autores

  • Mónica Prates
  • Amélia de Jesus Marchão

Palavras-chave:

educação pré-escolar, crianças; educadoras, famílias, igualdade de género

Resumo

Neste estudo de caso, desenvolvido no distrito de Portalegre, discutem-se e refletem-se questões relacionadas com o género e o modo como as mesmas são encaradas, numa perspetiva de igualdade de oportunidades, num contexto de educação de infância.
Assume-se que na mais tenra idade as crianças já desempenham papéis de género e que constroem a sua identidade de género a partir das interações que estabelecem com o meio que as rodeia, destacando como principais modelos sociais a família e os/as profissionais de educação de infância como fontes de influência da criança.
Após análise e interpretação dos dados recolhidos através de questionários e de entrevistas, demonstra-se a existência de conceções estereotipadas sobre o género que podem condicionar o desenvolvimento pessoal e social da criança Também se observa que os estereótipos sociais sobre o género, que de uma forma por vezes inconsciente marcam as atitudes e comportamentos dos pais e das mães e dos/as educadores/as de infância, se traduzem e refletem nas respostas e papéis de género que as crianças representam no contexto do jardim de infância.

Downloads

Publicado

01-10-2015

Como Citar

Prates, M., & Marchão, A. de J. (2015). Estudo das conceções de género presentes num jardim-de-infância da cidade da Ponte de Sor: as conceções das crianças, das educadoras e dos/as encarregados/as de educação. Revista Aprender, (36), 86–101. Obtido de http://aprender.esep.pt/index.php/aprender/article/view/43

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)