Universidades da Terceira Idade: dimensão educativa e social

Autores

  • Luisa Carvalho
  • Maria Fonseca da Silva

Palavras-chave:

aprendizagem ao longo da vida; envelhecimento ativo; resposta social

Resumo

Deparamo-nos, em Portugal, com uma nova realidade, na qual se evidenciam o aumento da longevidade e o envelhecimento populacional.
As novas características da população implicam repensar o perfil das entidades reconhecidas formalmente pelo Estado como respostas sociais para os idosos e a sua capacidade para (cor)responder às necessidades e interesses dos mais velhos.
As Universidades da Terceira Idade (UTI) constituem uma resposta socioeducativa, promovendo o emporwerment, o convívio em detrimento da solidão, e o bem-estar físico e psíquico dos mais velhos. Muitos idosos parecem encontrar, nestas instituições, resposta para as suas necessidades de integração social, reconhecendo-se e valorizando-se os saberes adquiridos ao longo da vida. No entanto, as UTI não são reconhecidas pelo Estado como uma resposta social.
Com o intuito de se contribuir para a investigação nesta área, pretende-se, através de um estudo de caso, evidenciar, além do papel educativo, o papel social das UTI, nomeadamente da Universidade Sénior de Monforte.
De referir que também a Associação Rede de Universidades da Terceira Idade (RUTIS) se move, presentemente, pelo reconhecimento social das mesmas através de uma petição pública.

Downloads

Publicado

01-10-2015

Como Citar

Carvalho, L., & da Silva, M. F. (2015). Universidades da Terceira Idade: dimensão educativa e social. Revista Aprender, (36), 48–62. Obtido de http://aprender.esep.pt/index.php/aprender/article/view/39

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)