Os defi cientes na Literatura Infantil – tendências e representações

Autores

  • Edgar Kirchof
  • Iara Tatiana Bonin
  • Rosa Maria Hessel Silveira

Palavras-chave:

literatura infantil, diferença, defi ciência

Resumo

O artigo discute a articulação tradicional entre literatura para crianças e pedagogia, a partir da análise de 27 obras infantis publicadas no Brasil nos anos 2000, as quais apresentam personagens com defi ciências: surdos, cegos e cadeirantes. A análise permitiu identifi car duas tendências principais: a tematização da defi ciência como o nó narrativo das histórias, de um lado, e a utilização de personagens defi cientes em enredos que focalizam outras questões, de outro lado. Nos livros alinhados com a primeira tendência, predomina a retórica da compensação e da superação. Já na segunda, há um investimento estético cuidadoso para inserir a temática de forma sutil e não diretiva, mais aberta à polissemia. No caso das obras sobre surdos, algumas adotam uma visão clínica e outras incorporam a concepção atual de cultura surda. Observa-se, assim, que, apesar da intencionalidade pedagógica dominante na maioria dessas obras, algumas fogem a tal padrão, mobilizando o leitor para cooperar ativamente com a construção de diferentes interpretações para o texto verbal e as imagens.

Downloads

Publicado

01-06-2013

Como Citar

Kirchof, E., Bonin, I. T., & Silveira, R. M. H. (2013). Os defi cientes na Literatura Infantil – tendências e representações. Revista Aprender, (33), 113–122. Obtido de http://aprender.esep.pt/index.php/aprender/article/view/100