Reavaliação dos impactos económicos do festival SWR Barroselas Metalfest e a sua relevância no desenvolvimento turístico da região

Autores

  • Jorge Coelho
  • Miguel Brázio

Palavras-chave:

impactos económicos, desenvolvimento local, festivais, heavy metal

Resumo

Em 2013, durante a 16ª edição do festival Steel Warriors Rebellion Barroselas Metalfest, foi levado a efeito um estudo cujo principal objetivo seria aferir quais os impactos económicos daquele evento e a sua relação com o desenvolvimento turístico local. Em 2017, durante a 20ª edição do referido festival, procedeu‐se à reavaliação dos impactos atrás mencionados, mantendo‐se também o interesse na análise respeitante à dinâmica turística local. Voltou a assumir‐se a significância deste tipo de estudos, pelo facto de se tornarem uma ferramenta útil na tomada de decisões.
A metodologia aplicada em 2017 foi semelhante à usada em 2013 e para o efeito utilizou‐se novamente o modelo de análise sugerido por Crompton, Seokho, e Shuster (2001), que visa sobretudo medir o retorno económico dos eventos para a comunidade local, tendo‐se recorrido a técnicas de investigação como a aplicação de inquéritos e realização de entrevistas. De 27 a 30 de abril de 2017 foram realizados 353 inquéritos a festivaleiros presentes no evento e 6 entrevistas, à  organização do festival e comerciantes locais.
O presente estudo apresenta um resumo da análise realizada em 2013, ano em foram realizados 322 inquéritos e 6 entrevistas, seguindo‐se a descrição da investigação efetuada em 2017 e dos consequentes resultados. Estabeleceram‐se comparações, resultando em conclusões devidamente fundamentadas que demonstram a real importância do evento analisado no desenvolvimento cultural e turístico local face aos resultados positivos que o mesmo permite alcançar.

Downloads

Publicado

01-09-2020

Como Citar

Coelho, J., & Brázio, M. (2020). Reavaliação dos impactos económicos do festival SWR Barroselas Metalfest e a sua relevância no desenvolvimento turístico da região. Revista Aprender, (40), 47–65. Obtido de http://aprender.esep.pt/index.php/aprender/article/view/126